Beijei Uma Garota

Longa francês estrelado por Pio Marmaï trata de tema inusitado de forma bem humorada, mas sem aprofundamento

por

02 de agosto de 2015

“Beijei Uma Garota” começa com uma cena clássica: um homem nu levantando da cama e procurando suas roupas após uma noite de amor com uma bela mulher que permanece deitada. Uma situação comum, se não fosse o fato deste homem ser Jérémie (Pio Marmaï), que, embora homossexual e noivo de Antoine (Lannick Gautry), se viu apaixonado por Adna (Adrianna Gradziel), uma loira sueca de tirar o fôlego, que além de linda é divertida. Após 34 anos de existência e 10 anos de relacionamento com o charmoso médico, pela primeira vez Jérémie se vê diante de um enorme conflito pessoal e sexual: como um homossexual convicto pode se sentir tão atraído por uma mulher? Seu melhor amigo e sócio Charles (Franck Gastambide) é o primeiro para quem conta sobre a situação e quem vai lhe ajudar a desvendá-la.

Escrito e dirigido pelos estreantes Noémie Saglio e Maxime Govare, o filme vai de encontro aos rótulos direcionados à sexualidade humana com muito humor. Em vez de um homem heterossexual que descobre ser gay e demora a se aceitar, como já retratado em tantas películas (“Saindo do Armário”, “O segredo de Brookeback Mountain”, “C.R.A.Z.Y. – Loucos de Amor”, “Algo a Romper”), aqui temos um homossexual em dúvida se virou hétero. Na figura dos pais de Jérémie, está representada uma inversão do preconceito: eles acham muito mais cool ser gay que ser hétero e seguir a cartilha social, e criticam o filho depois deste revelar que está apaixonado por uma mulher. “Toute première fois” (no original), no entanto, não consegue fugir dos clichês ao optar pela comédia. Como numa história tradicional de triângulo amoroso, o longa objetiva deixar o público dividido sobre com quem o protagonista deve terminar através de cenas divertidas de conteúdo fraco.

Beijei Uma Garota4

Despretensioso, o filme transforma em “realidade” o sonho de boa parte das mulheres: “converter” um gay interessante. Na verdade, o que “Beijei Uma Garota” deseja mostrar é que, em tratando de sexualidade, tudo é possível e que o importante é seguir o seu coração, independente das condutas que a sociedade espera. Apesar de inofensivo, o filme pode gerar um bom debate sobre sexualidade após a sessão na mesa de bar. Uma coisa é certa: para Jérémie, os versos de Katy Perry (“I kissed a girl and I liked it…”) nunca fizeram tanto sentido. Afinal, para tudo há uma primeira vez.

 

 

Beijei Uma Garota (Toute première fois)

França – 2015. 98 minutos.

Direção: Noémie Saglio e Maxime Govare

Com: Pio Marmaï, Franck Gastambide, Adrianna Gradziel e Lannick Gautry.

Avaliação Raíssa Rossi

Nota 3