Ídolo

por

27 de novembro de 2015

Nilton Santos, jogador fiel do Botafogo entre 1948 e 1964, conhecido como “Enciclopédia” e considerado pela Fifa o melhor lateral esquerdo de todos os tempos, é o tema deste documentário assinado por Ricardo Calvet em seu longa de estréia.  O filme traça a trajetória do craque desde os tempos de glória como bicampeão mundial até seus últimos dias de vida, com a saúde debilitada pelo Alzheimer.

Final da Copa do Mundo de 1958 Brasil 5 x 2 Suécia

Calvet faz uma emocionante homenagem a um personagem considerado mestre por nomes como Zico e Júnior e de quebra mostra um futebol que não existe mais, quando os jogadores suavam a camisa pelo time sem a menor regalia financeira (Nilton chegou a morar embaixo da arquibancada do clube). Os depoimentos são pungentes e emocionantes sem cair na pieguice, tudo emoldurado por um excelente material de arquivo com gravações da Copa do Mundo e campeonatos brasileiros.

Semifinal Copa do Mundo de 1958 Brasil 5 x 2 França

Mais que um documentário sobre futebol, o documentário faz reflexões profundas sobre a importância de um ídolo na formação do caráter do ser humano, através da figura de Thiago Alvim, torcedor do Botafogo, fã incondicional e amigo íntimo do jogador. Thiago atua como um recepcionista cuja principal motivação era estar perto de seu ídolo para reverenciá-lo em vida e prestar-lhe as últimas homenagens. Ele visita Nilton na clínica onde o jogador estava internado desde 2007 e com autorização dos médicos, os dois partem em uma viagem que acaba se tornando o último reencontro entre Nilton e sua esposa Maria Célia.

 

A única ressalva fica por conta da sequência da Copa de 58 onde Calvet abandona por alguns minutos a figura do craque para destacar a presença de Garrincha, considerado um azarão pelas suas pernas tortas e questionar o desempenho da seleção brasileira daquele ano.

 

Mas o principal mérito deste documentário é mostrar para a atual geração de jogadores, a importância de ser fonte inspiradora para crianças e jovens e que através de um ídolo possam construir virtudes como respeito e dignidade.

 

Ídolo (idem)

Brasil, 2015. 90 min.

Direção: Ricardo Calvet

Documentário

 

Avaliação Zeca Seabra

Nota 4