Não Olhe Para Trás

Al Pacino dá vida a um cantor frustrado que resolve mudar de vida

por

17 de abril de 2015

“Um pouco inspirado em fatos reais”. É com esta frase peculiar que se inicia “Não Olhe Para Trás”, filme que Dan Fogelman (“Amor a Toda Prova”, “Última Viagem a Vegas”) assina o roteiro e debuta como diretor. Na trama, Al Pacino é Danny Collins, um cantor popular que se vendeu para a indústria e há mais de 30 anos não compõe uma música. Após receber de presente de aniversário de seu melhor amigo e empresário Frank (Christopher Plummer) uma carta que seu ídolo John Lennon lhe escreveu há 40 anos e que até então não tinha chegado às suas mãos, Collins decide finalmente mudar de vida, se livrar da rotina de drogas e excessos, voltar a compor e conhecer seu filho já adulto.

NaoOlheParaTras2

O impacto da carta de Lennon é tão grande na vida de Collins que, de um dia para o outro, ele larga tudo para trás e se muda, por tempo indeterminado, para um hotel na cidade onde vive o filho Tom (Bobby Cannavale). Chegando lá, suas expectativas do encontro perfeito não correspondem à realidade: ele conhece uma compreensiva nora grávida (Jennifer Garner), uma agitada neta com TDAH (Giselle Eisenberg) e um filho que não o recebe nada bem, além de ter um pesado segredo. Ainda assim, Collins não desiste e impõe sua presença à sua maneira divertida e carismática à “nova família”. A busca do cantor estagnado por redenção – em mais uma tentativa de Holywood de provar que riqueza e fama não trazem felicidade – é maior que os obstáculos que precisa enfrentar para alcançá-la.

NaoOlheParaTras5

Embalado pelas canções de John Lennon e regido pelas típicas frases de lições de vida “nunca é tarde para recomeçar” e “não é possível voltar ao passado, mas é possível escrever um novo começo”, o longa “Danny Collins” (no original) é uma dramédia com doses de humor na medida certa que consegue envolver o público na sempre excelente atuação de Al Pacino, que também está em cartaz nos cinemas em “O Último Ato”. O excesso de clichês e a enorme tendência ao melodrama que os americanos tanto amam, nesse caso, não são um ponto negativo do filme, pois são bem trabalhados por Fogelman numa história de família e redenção que clama por um final feliz. Embora o enredo não traga nada de novo e se mantenha no lugar-comum, o filme conta com um ótimo elenco de apoio e bons diálogos, além de Al Pacino mostrando um lado cafona e espirituoso. “Não Olhe Para Trás” está longe de ser um grande filme, porém funciona muito bem como passatempo leve e descompromissado.

 

  • Al Pacino e Christopher Plummer
  • Al Pacino
  • Annette Bening
  • Bobby Cannavale, Jennifer Garner e Giselle Eisenberg

Não Olhe Para Trás (Danny Collins)

EUA – 2015. 106 minutos.

Direção: Dan Fogelman

Com: Al Pacino, Annette Bening, Christopher Plummer, Bobby Cannavale, Jennifer Garner e Giselle Eisenberg.

Avaliação Raíssa Rossi

Nota 3