Ninguém Ama Ninguém… Por Mais de Dois Anos

Contos de Nelson Rodrigues de "A Vida como Ela É" são adaptados para o cinema pela primeira vez

por

19 de novembro de 2015

“A Vida Como Ela É”, obra conhecida de Nelson Rodrigues, já ganhou diversas adaptações, entre programa de rádio nos anos 60, disco, fotonovela, peça de teatro nos anos 90 (dirigida por Luiz Arthur Nunes) e série televisiva da Globo (escrita por Euclydes Marinho e dirigida por Daniel Filho), além de servir de inspiração para um dos filmes mais vistos da história do cinema brasileiro – ”A Dama do Lotação”, de Neville D’Almeida. Pela primeira vez adaptados para as telonas, os contos da citada obra de Rodrigues integram “Ninguém Ama Ninguém… Por Mais de Dois Anos”, longa-metragem de estreia de Clovis Mello, com roteiro de Marina Meira, Paula Santos e Rodrigo Vasconcelos e produção de Nelson Rodrigues Filho e Raul Doria.

A trama acompanha a intimidade de cinco casais que vivem no Brasil entre o final dos anos 50 e início dos 60, em pleno Governo Juscelino Kubitschek. O espectador torna-se aquela mosquinha que todos já tiveram vontade de ser e descobre os bastidores hipócritas e movediços por trás de relacionamentos aparentemente perfeitos – é a estrutura frágil da famosa “família tradicional brasileira” tendo a sua vida privada devassada ao estilo rodrigueano, porém de uma maneira bem mais tímida do que Nelson faria.

“Ninguém Ama Ninguém… Por Mais de Dois Anos” é uma coletânea de pequenos episódios tragicômicos sobre desamor, envolvendo adultério e desejos ocultos que se intercalam sem nunca se misturar, exceto pelo fato de quase todos os personagens frequentarem o bar onde o garçom Juventino (Ernani Moraes) trabalha. Não fosse a falta de malícia – decorrente do tom novelístico de minisséries Globais que, repleto de clichês e estereótipos, domina os 87 minutos de película, da mão leve com que Mello conduz a trama e de atuações pouco profundas de parte do elenco – num enredo que exigia mais, o filme seria tão envolvente como os contos nos quais se baseia. Por outro lado, a mistura de comédia e drama em subtramas sintonizadas entre si marca um grande acerto do diretor, cuja frase não poderia ser mais apropriada ao longa: “se você nunca foi traído, é comédia. Se você já foi traído, é drama”.

 

Festival do Rio 2015 – Expectativa 2015

Ninguém Ama Ninguém… Por Mais de Dois Anos (Idem)

Brasil – 2015. 87 minutos.

Direção: Clovis Mello

Com: Gabriela Duarte, Ernani Moraes, Marcelo Faria, Michel Melamed, Julianne Trevisol, Pedro Brício e Branca Messina.

Avaliação Raíssa Rossi

Nota 3