“O Agente da U.n.c.l.e.” – Entrevista com Henry Cavill e Armie Hammer

Cavill admite que Superman é seu herói favorito, para a surpresa de Armie

por

11 de setembro de 2015

IMG_3741

Para marcar a chegada com chave de ouro do filme “O Agente da U.N.C.L.E.” no Brasil, novo trabalho do diretor britânico Guy Ritchie, vieram ao Rio para prestigiar a pré-estreia e dar uma entrevista ao Almanaque Virtual os dois protagonistas, Henry Cavill e Armie Hammer, que interpretam a dupla de agentes Napoleon Solo e Illya Kuryakin originários do seriado de Tv homônimo de 1964, ora adaptado para as telonas. Cavill ficou mais notabilizado pelo papel de Super-Homem no filme “Homem de Aço” e será visto num dos mais esperados do ano que vem: “Superman Vs Batman: Aurora da Justiça”. Enquanto Hammer foi aclamado na revelação pelo papel duplo de gêmeos em “A Rede Social”, mas também realizou o fracasso de bilheteria e crítica no ano passado “Cavaleiro Solitário”. Cavill, em sua sobriedade britânica, porém educado e receptivo, e Hammer, como bom americano, dando show de simpatia e risos.

IMG_3736

AV: Por que as pessoas amam agentes secretos?

Cavill: Eles são descolados, divertidos, têm todo este ‘sex appeal’, além da ação e aventura que acompanham. E também contam uma boa história, claro.

Hammer: Se há uma profissão talvez mais antiga que a prostituição é a espionagem. Pois desde que o homem se entende por gente sempre quis saber o que os outros estão fazendo atrás da montanha. Isto é espionagem.

IMG_3731

AV: E como chegaram à extrema química entre os protagonistas?

Cavill: Houve muitos ensaios na casa do próprio Guy. Conversamos sobre todas as cenas, criamos algumas coisas do zero, para ver a resposta de cada um, e as ideias foram sendo implementadas dias antes de filmar, com todos juntos.

Hammer: Pequenos ensaios não são tão raros, porém nem sempre possíveis, já que filmar é caro, com locação, luzes, equipe, então às vezes os próprios atores se reúnem antes de ouvir a palavrinha “Ação”, pois alguns diretores esperam que esteja todo mundo pronto pra filmar e não perguntem nada. Já o Guy se envolve em tudo. O ambiente que ele cria solta bastante a criatividade.

Cavill: E Armie de fato assistiu a série, então ele ainda teve um comparativo.

Hammer: Sim. São ótimos personagens. As pessoas vão se lembrar talvez de terem visto com seus pais ou avós, então tivemos de ser bastante respeitosos com a adaptação. Illya (personagem de Hammer), por exemplo, tem mais pano de fundo do que a série, até porque a série já começava com a dupla formada, e nunca mostrou suas origens. E o filme conta como eles vieram a ser os homens da Agência de Inteligência U.N.C.L.E. Mesmo quem não assistia aos seriado vai se divertir e entender a história.

IMG_3752

AV: Enfim Henry Cavill pôde interpretar um espião em sua carreira. Como foi isso?

Cavill: Meu personagem não é o típico espião. Antes de tudo ele é um ladrão que foi chantageado pela CIA. Portanto, trabalha para o governo de forma relutante, e é divertida esta parte no personagem, que sempre pensa no que ele pode ganhar com as situações, como todo bom ladrão. Além disso tive de criar o sotaque, que está entre o americano e o britânico, um meio-atlântico.

AV: A soberba trilha sonora dita bastante do ritmo do filme. Vocês tiveram prévio conhecimento do estilo musical que seria usado ou o diretor chegou a usar as próprias músicas no set de filmagem?

Hammer: Tivemos um excelente diretor musical com quem Guy sempre trabalha: Daniel Pemberton. Mas o próprio Guy não chegou a discutir antes conosco quais músicas escolheria. Onde ele já havia filmado encaixou perfeitamente cada parte da trilha e só nos mostrou quando as filmagens estavam quase no final. Testamento da qualidade dele como diretor.

AV: E como foi trabalhar com os talentos femininos do filme, Alicia Vikander e Elizabeth Debicki?

Cavill: Talentosas e lindas. Quando se olha o outro ator e vê o personagem olhar de volta, você se diverte contando a história. E elas roubam a cena.

AV: Sim, Guy parece ter imbuído um pouco do glamour de filmar antigamente nos elegantes filmes de Fellini e Visconti. Como foi filmar com este nível de produção e qual foi a cena mais difícil?

Cavill: Definitivamente a cena mais difícil foi a do bote, sob a água. Não sou nenhum nadador profissional, e nos é exigido estarmos fisicamente preparados para tudo. E neste instante eu tinha que filmar sob a água, sem máscara, com roupas normais molhadas e pesadas, além de ter que puxar o Armie para a superfície e….olha para ele: é um gigante. Se você perder o fôlego, morre. Se entrar em pânico, não dá para fazer sinal. Claro que havia uma equipe lá se algo desse errado para…tipo, lhe ressuscitar. Mas tudo sob a água é mais difícil, até mesmo sinalizar uma emergência.

AV: E quanto ao romance no filme? É bom ver não ir para o óbvio.

Cavill: Sim. Parece que vai focar no meu personagem, que é um Womanizer (galanteador), mas vai para o personagem mais prejudicado de Hammer (e nesta parte Armie brinca de ficar todo torto para fingir que seu personagem era o doentinho da cabeça).

AV: E qual é o seu herói favorito? (foi perguntado a Henry Cavill após ele perceber que este que vos escreve estava anotando tudo num caderno do Batman).

Cavill: Olha, eu não costumo responder isto em nenhuma coletiva nem entrevista, nem posso ficar falando sobre isso, mas de fato meu herói favorito sempre foi o Superman.

Hammer começa a rir e, apontando para meu caderno a rir de Cavill, este apenas encerra a entrevista com a frase mais impagável dirigida a mim: “You’ll grow out of it / Um dia você supera”. (querendo dizer que o Super é muito melhor que o Batman…rsrs).