Qual o seu trabalho, Papai?

por

03 de outubro de 2014

O documentário fala sobre a vida real do diretor e ator pornô francês Hervé Gustave, já com seus quarenta anos de carreira. Ele é casado, com dois filhos pequenos, que começam a dar os primeiros passos e a viver a primeira fase preciosa da infância. Sua esposa provoca uma questão que já estava enraizada em Hervé sobre sua escolha de vida (mesmo sendo uma parceira de mente aberta), que causa uma reação determinante. Ao filmar mais um filme pornô, Hervé sabota o projeto de última hora, porque começa a se questionar sobre a própria profissão: como é ter filhos e ao mesmo tempo ser uma figura do cinema pornográfico? Então, decide filmar o próprio documentário, filmando sua vida. Assim, ele perpassa por cenas sexuais (na tentativa falha de produzir novos trabalhos), sua vida cotidiana em casa, e debates sobre sua crise. Outros atores que tem família falam da sua experiência, como por exemplo, o medo que o filho descubra sua profissão, se por acaso os vejam na internet, e como se sentem. Em suma, o documentário ronda sobre a pergunta se é possível ser um pai presente, respeitável e dedicado, sendo um profissional do cinema adulto.

get (1)

Tudo dentro do relato é muito real, sincero e cru, nenhuma cena é censurada ou embelezada. A nudez aparece de forma natural, como realmente acontece, e que é visível em momentos que diálogos são feitos como se todos estivessem vestidos, e trabalhando em um emprego ou atuação formal. Espectadores sedentos em busca de cenas quentes, exploração da sexualidade, e momentos excitantes, em busca de assistir seus desejos lascivos e curiosidades sexuais no telão, sairão extremamentes frustrados. O documentário é sobre tudo na vida do personagem, menos sexo. O próprio diretor é filmado com a câmera na mão, enquanto tenta gravar e ao mesmo tempo participar de seus filmes, sem se importar ou dar valor ao fato de também estar sendo gravado. A sua esposa também faz um papel importante, relatando o que ela sente para ele, e que também fica entre dois mundos, entre estar com a família e estar presente no trabalho do marido.

filsde_f01cor_2014111539

Talvez o documentário possa ser um pouco entediante para quem prefere algo mais dinâmico, rápido e informativo, ele é um acompanhamento ao vivo de uma realidade nem um pouco comum, mas que contém as mesmas dúvidas de um homem que acaba de ser pai. Como não existe uma atuação, é possível dizer que todos os atores, que vai desde jovens, idosos, gordos, magros e gays, não se incomodaram ao serem gravados por um outro ângulo (literalmente). Hervé fez questão que tudo se passasse em lugares diferentes de sua vida, com pessoas diversas, e na tentativa mais pura, de ser verdadeiro. O documentário rouba risos, perguntas e naturalidade para quem assiste, mesmo sendo um tema que não é para todomundo. Não é uma grande referência de como funciona a indústria pornográfica (para isso existe uma variação, de um filme do festival chamado “Peter de Rome: O Vôvô do Pornô Gay”), uma história clichê e romântica da fase paterna, ou uma ode ao sexo. É o registro de um pai, sobre sua profissão, simples assim.

Festival do Rio 2014 – Mostra Midnight Movies

Título: “Qual o Seu Trabalho, Papai?” (“Fils De”)

França, 2014 – 1:10m

Direção: Hervé P. Gustave

Elenco: Karina Testa, Hervé P. Gustave, Gwenaelle Baid